• Clara Padilha

A importância do exercício físico para o Profissional da Odontologia

Autores: Larissa Leci e Stevão Victor (@stevaof10)


Sempre falamos sobre a importância da presença do Cirurgião-Dentista no esporte e está cientificamente comprovado que nós (dentistas), contribuímos com a saúde dos atletas de várias formas. Mas, não falamos (ou quase não falamos) sobre a importância do esporte/atividade física na vida do profissional da odontologia, em outras palavras poderíamos dizer, o dentista é importante para a prática esportiva, assim como a prática esportiva é importante para o dentista. Entendeu? Calma que vamos explicar...



A Odontologia é uma profissão linda, rica de oportunidades, satisfação pessoal e profissional. Entretanto, atualmente, tem sido considerada uma profissão estressante, constantemente associada a agravos à saúde.


Segundo Medeiros; Riul (1994), o Cirurgião-Dentista (CD) está exposto a vários riscos associados a diversos agentes presentes no trabalho, podendo ser: agentes biológicos - fungos, bactérias, vírus; químicos - mercúrio, gases; físicos - ruído, iluminação, radiação, temperatura, ventilação, instrumentos de corte e abrasão; psíquicos - ritmo e intensidade das tarefas, metas de produtividade, insatisfação social, pessoal e por último; mecânicos - posturas de trabalho incorretas e movimentos repetitivos prolongados.


Os riscos denominados mecânicos são considerados um dos mais preocupantes na jornada

de trabalho do CD, em 1997 Matta & Zacaron relataram, baseando em pesquisas, que um em cada dois Cirurgiões-Dentistas tem alguma patologia na coluna lombar, decorrentes de problemas posturais ocupacionais.

O trabalho do cirurgião-dentista leva-o a inclinações laterais, flexões e extensões da coluna.


Muitas vezes, o modo de realizar tais posições pode levar a alterações de origem postural, como, as escolioses, cifoses e lordoses.


A postura inadequada podem resultar em várias problemas, como: complicações cardiovasculares, respiratórias, do aparelho digestivo, dores lombares, nas costas, perturbações na coluna vertebral, e de circulação sangüínea nas pernas com consequentes complicações vasculares, cãibras, complicações nas veias e artérias, varizes nas pernas e pés, flebites, dores e deformações nos pés.


Diversos autores afirmam que encontraram maior frequência dos sintomas dessas desordens entre os cirurgiões-dentistas, quando comparados à população em geral ou com outros profissionais de saúde, também afirmam que a região lombar é uma das mais atingidas. Isso se deve ao fato de os discos do segmento lombar serem muito solicitados na sua função, devido ao centro de gravidade do corpo humano concentrar-se nessa região.


Além dos problemas posturais, os Cirurgiões-Dentistas estão entre os profissionais mais acometidos por Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Estas lesões ocorrem devido às características de suas atividades, pois trabalham constantemente em posturas inadequadas, sem períodos de

repouso e sob forte tensão emocional.


As LER/DORT, que estão frequentemente associadas ao exercício da Odontologia, são as

seguintes: Cervicobraquialgia, Ombro Doloroso, Síndrome do Desfiladeiro Torácico, Epicondilite Lateral, Síndrome do Túnel do Carpo, Tenossinovite de Quervain, problemas

como degeneração dos discos intervertebrais da região cervical da coluna, bursite, inflamação das bainhas tendinosas e artrite das mãos passaram a ser relacionadas com

patologias comumente encontradas entre os cirurgiões-dentista.


Observando-se, (por exemplo), os instrumentos dentais, verifica-se que há muitas

características que podem aumentar ou diminuir a possibilidade de desenvolver problemas músculoesqueléticos crônicos, como: tamanho do instrumento, diâmetro do cabo, configuração da superfície, forma e peso do instrumento, alinhamento da ferramenta, mobilidade do instrumento e manutenção da extremidade cortante.


Atualmente, as cadeiras odontológicas têm desenho anatômico, permitindo melhor acomodação do cliente e do cirurgião-dentista. A base e os braços das cadeiras são menores, permitindo maior aproximação do profissional, o que facilita a visão direta do campo de trabalho. Os mochos apresentam encosto para apoio da coluna na altura da

posição lombar e são reguláveis para permitir um ângulo de 90º dos membros inferiores do profissional com o solo, evitando o aparecimento de varizes.


Além dos instrumentais e equipamentos cada dia mais tecnológicos é recomendavél aos Cirurgiões-Dentistas incluírem em sua rotina diária exercícios de relaxamento que têm como objetivo aliviar a dor e a tensão muscular, manter a amplitude de movimento e manutenção

do equilíbrio muscular.


Os exercícios de alongamento têm como objetivo obter flexibilidade das articulações dos ombros, cotovelos, punhos e dedos, melhorar a circulação, soltar as áreas tensas, preservando a saúde e possibilitando maior qualidade de vida. Michelin et al. (2000) recomendaram ao profissional de Odontologia evitar o sedentarismo e realizar atividades físicas.



A atividade física é essencial para a qualidade de vida do cirurgião dentista, além dos exercícios de alongamento e relaxamento, os exercícios aeróbicos e de fortalecimentos são extremamente importantes para o dentista. Como por exemplo o treinamento funcional, que diversas academia estão disponibilizando, esse treinamento vem crescendo cada dia mais e

possui como objetivo exercícios focados para funcionalidade do dia a dia.



Outro exercício muito importante que não podemos deixar de lado, é o fortalecimento do core (abdômen e lombar) pois eles possuem a maior responsabilidade em manter a coluna estabilizada, garantindo um condicionamento físico e segurança muscular e articular no seu cotidiano de trabalho, e consequentemente muitos anos de trabalho diminuindo stress muscular.


OBS: Não custa nada lembrar que todo exercício físico deve ser orientado por um profissional da área. Uma pesquisa realizada na Universidade de Taubaté (2010) mostrou o Método Pilates eficaz na melhora da flexibilidade e na qualidade de vida de estudantes de Odontologia.


Após a realização do Método Pilates os voluntários apresentaram melhora na flexibilidade (medida em graus) de praticamente todos os movimentos avaliados no presente estudo (p<0,05).


Dessa forma esse método também pode ser uma boa alternativa na prevenção de lesões

de trabalho decorrente da profissão de cirurgião-dentista.


É necessário que os profissionais de Odontologia se conscientizem quanto ao cuidado de seu maior patrimônio: seu próprio corpo. Pausas para descanso entre os atendimentos, adoção de métodos preventivos, como, exercícios regulares, massagens, boa alimentação, cuidados com a postura, são algumas alternativas que podem ser adotadas a fim de prevenir e/ou minimizar os possíveis problemas músculo esqueléticos, advindos da

profissão, considerada uma das mais estressantes na área da saúde.





Referências:


Graça CC, Araújo TM, Silva CEP. Desordens musculoesqueléticas em cirurgiões-dentistas.

Sitientibus 2006; 34: 71-86.


Saquy PC. A ergonomia e as doenças ocupacionais dos cirurgiões-dentistas. Robrac 1996;

6: 14-8.


Barbosa ECS, Souza FMB, Cavalcanti AL, Lucas RSCC. Prevalência de distúrbios

osteomusculares relacionados ao trabalho em cirurgiões-dentistas de Campina Grande -

PB. Pesq Bras Odontopediatria Clin Integr 2004; 4: 19-24.


Rodrigues, PB. Efeito do método pilates sobre a flexibilidade e qualidade de vida de

estudantes de odontologia. Progama de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade de

Taubaté. 2010.

50 visualizações

Quer ficar por dentro das novidades?

Se cadastra aqui: 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Balneário Camboriú - SC

(47) 9 9158 3050