• Clara Padilha

O Esporte envelhece a face mais rápido?

Pacientes estão chegando no consultório com essa dúvida de maneira cada vez mais frequente. Eles perguntam sobre a "face do atleta"/"face de corredor". Em inglês existe a expressão "Runner's Face".



Se você ainda não ouviu o termo, a teoria assustadora por trás dele é que as bochechas começarão a cair por causa de todos os "mini" pulos enquanto corremos, ou que o envelhecimento prematuro acontecerá pois a gordura sob a pele da face é perdida.


Sinais de uma face envelhecida: emagrecimento facial de um modo geral, com diminuição dos coxins de gordura e a face assumindo um aspecto cadavérico, malares mediais (maçãs) do rosto, mais profundos, lábios mais finos, olheiras mais profundas com bolsas mais evidentes, olhos mais "encovados" e sobrancelhas mais baixas, rugas marcadas e profundas em testa, aumento dos recessos bi-temporais ("entradas").

Existem inúmeros benefícios em correr. Ajuda a perder peso, melhora o sistema imunológico e e o metabolismo ósseo. No entanto, existe a dúvida sobre se correr por muito tempo pode fazer com que sua pele fique flácida e perca a elasticidade, dando um aspecto mais envelhecido à face.


O envelhecimento é parte do processo natural da vida, mas podemos fazer com que a chegada das marcas do tempo sejam menos sofridas se tivermos uma vida regrada e saudável. Dessa forma, pessoas que praticam atividade física com acompanhamento profissional e sem exageros tende a envelhecer melhor do que os atletas de alto nível e do que os sedentários.


Pode haver uma série de fatores que podem fazer com que sua pele ceda, mas é comum com os corredores, que passam muito tempo correndo ao ar livre. Quanto mais a elasticidade da pele é danificada, menores são as chances de ela permanecer firme e esticada.


O estresse do trabalho, exposição solar desprotegida durante o treino, uso de medicamentos inadvertidamente, hábitos alimentares pouco equilibrados e as maratonas levam a um “estresse oxidativo”. O estresse oxidativo é a alteração da permeabilidade seletiva celular e acúmulo de radicais livres e oxigênio reativo dentro da célula.


Um fator que influencia grandemente na forma como o envelhecimento afeta o nosso organismo tem a ver com um termo bastante conhecido – em especial pelas mulheres – os radicais livres. Conforme utilizamos oxigênio para transformar os nutrientes dos alimentos em energia para o corpo, ele gera, como subproduto, esses tais radicais que, aos poucos, vão envelhecendo as nossas células, danificando-as e mostrando que o tempo está passando pra gente. De forma bastante didática, é como se a cada respiração fossemos, aos pouquinhos, enferrujando, oxidando de dentro pra fora.


Todavia, o nosso corpo sabe se proteger desse efeito negativo e, embora a prática de exercícios físicos leve a um maior consumo de oxigênio e, reconhecidamente, maior produção de radicais livres, o corpo dos atletas também consegue melhorar a reserva de antioxidantes em resposta às atividades físicas (Barros, T.), a intensidade e duração do exercício tem tudo a ver com essa resposta positiva.


Algumas dicas que profissionais da Ed. física nos dão são:


1) Perder peso de maneira constante e não abrupta, para dar à pele tempo para se ajustar à perda de gordura resultante do exercício.

2) Usar protetor solar enquanto corre. A pele pode perder sua elasticidade devido à exposição excessiva ao sol e à exposição ambiental prolongada. A exposição prolongada a raios ultravioleta prejudiciais há muito tempo é responsável pela quebra das fibras de colágeno e elastina que causam rugas e flacidez da pele facial. É preciso precauções para proteger a pele do rosto dos efeitos devastadores do sol e do meio ambiente. Evite a flacidez e rugas prematuras da pele aplicando protetor solar no rosto. Protetor solar com FPS 20 (mínimo) e reaplicar a cada noventa minutos se suar muito.

Durante as corridas de 5 km, 10 km ou maratonas há um aporte sanguíneo maior nos músculos que são mais utilizados e uma “hipóxia” temporária em outros tecidos (ex: face) favorecendo a formação de oxigênio reativo nestes locais menos irrigados.


A flacidez também está ligada ao fator genético de cada um, de cada tipo de pele. Certamente que exercícios de musculação e de força resistida melhoram o tônus muscular, e a flacidez fica menos aparente. Ainda assim é um processo natural, mas que pode ser desacelerado com alguns cuidados importantes. O consumo de proteína na alimentação é imprescindível para que a síntese de proteína aconteça.


3) Ter uma alimentação com alimentos que promovem a produção de colágeno e repor o colágeno, são atitudes que ajudam a evitar a flacidez precoce. Uma dieta rica em frutas e vegetais frescos também ajuda a prevenir a flacidez da pele. Os vegetais e frutas são repletos de carotenóides que ajudam a fortalecer as células da pele e a combater os efeitos nocivos dos radicais livres.


4) Fique hidratado. Aumente o consumo diário de água junto com a rotina de exercícios para manter a pele hidratada e hidratada. Ajuda a eliminar as toxinas do corpo, a prevenir a flacidez da pele e a manter um peso saudável.


5) Sono é essencial para a recuperação dos tecidos em função dos exercícios praticados ao longo do dia e o repouso também colabora com a desaceleração do envelhecimento. Para os pacientes sedentários isso é ainda pior, pois geralmente não se exercitam e também não dormem bem, aumentam seu percentual de gordura e gerando outros problemas de saúde.


Os atletas acabam exigindo o máximo do corpo, gerando um desgaste exacerbado das células e ao envelhecimento precoce. Mas segundo o Dr. Turibio, dizer que algumas modalidades levam a um maior envelhecimento que outras, todavia, é equivocado, afinal o aumento das moléculas de radicais livres é proporcional ao consumo de oxigênio, mas depende mais da intensidade do que da modalidade praticada, em função do acelerar o metabolismo oxidativo que é a gênese da produção dos radicais livres.


A duração, a frequência e a intensidade do exercício são os principais aspectos do treinamento que devem ser observados pelos profissionais de Educação Física na hora de minimizar os efeitos do envelhecimento.


Equilíbrio

Os atletas de alto nível e aqueles que exageram na prática de atividades físicas tendem a envelhecer mais e pior do que aqueles que respeitam seus limites. Todavia, é consenso que os sedentários saem na pior quando comparados aos atletas. “Não é só do ponto de vista estético, mas sim envelhecimento como perda da saúde. Nos sedentários, o colesterol aumenta, há piora da circulação periférica e do retorno venoso, gerando varizes, tendência a ganho de peso e toda uma sequência de ônus decorrentes da falta de acelerar o metabolismo, ativar a circulação e outros benefícios proporcionados pelos exercícios físicos.


Importante lembrar que não é possível parar ou retroceder o processo de envelhecimento. Mas com a ajuda de uma boa orientação do profissional de Educação Física e consultas regulares ao cirurgião-dentista, podemos desacelerar este processo ;)


beijos, Clara

27 visualizações

Quer ficar por dentro das novidades?

Se cadastra aqui: 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Balneário Camboriú - SC

(47) 9 9158 3050