*Dissertação Comentada: Influência da Prática de Natação em Alta Competição na Situação Periodontal

May 28, 2019

Não é um artigo essa semana, mas vale a pena a discussão! Joana Quintal vem lá de Portugal para ampliar a discussão sobre a influência do exercício físico de alta intensidade na resposta periodontal.

 

Leia a DISSERTAÇÃO AQUI

 

 

Ela inicia sua dissertação relatando o que já temos observado em vários artigos, que é a associação entre o stress e a doença periodontal, assim como a relação entre a atividade física intensa e os processos catabólicos a ela associados que poderão interferir com a resposta imunitária do hospedeiro.

 

As doenças periodontais são consideradas como multifatoriais pois os seus processos patogênicos ocorrem sob a influência de múltiplos fatores condicionantes, de natureza genética, sistêmica, ambiental e comportamental que interagem na modelação da resposta imune, condicionado a susceptibilidade do hospedeiro e assim a expressão clínica das doenças.

 

Na dissertação, Joana discorre sobre esses fatores, separando-os em não-modificáveis (geralmente intrínsecos ao hospedeiro como idade, gênero, genética e hormônios, por exemplo) e os modificáveis (tabagismo, uso de fármacos, diabetes, osteoporose (?), viroses como HIV, desordens hematológicas e condições sócio-econômicas), é uma boa revisão que vale a pena a leitura. 

 

Em seguida, explica em detalhes a influência do stress no corpo humano, bem como a resposta fisiológica ao stress do exercício físico. 

 

O trabalho de Joana utilizou como grupo de estudo uma amostra de atletas de natação em percurso de alta competição que integram os escalões juniores, juvenis e seniores da equipa de natação federada do Futebol Clube do Porto. 58 indivíduos com idades compreendidas entre os 14 e os 27 anos. Ela usou um grupo controle de pacientes atendidos pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, que não praticavam esportes. 

 

Uma anamnese e exame clínico foram conduzidos, e os parâmetros clínicos periodontais estudados divididos em 2 grupos.

    - Os reversíveis: Índice de placa (IP), índice de sangramento pós‐sondagem e índice de sangramento gengival; os parcialmente reversíveis: profundidade de sondagem do sulco/bolsa periodontal;

     - E os irreversíveis: retração gengival e nível clínico de aderência epitelial. 

 

 

Parâmetros sócio-econômicos foram classificados por  Classificação de Graffar e para a avaliação de stress foi utilizada a Escala de Stress Percebido (PSS – Perceived Stress Scale) adaptada por Mota Cardoso et al sendo constituída por 14 itens e avaliam quais as situações/acontecimentos de vida consideradas stressantes (que está em anexo no trabalho se você quiser consultar) com coleta de cortisol salivar em dois momentos. 

 

Os níveis de stress podem ser avaliados indiretamente pelas concentrações de corticóides na urina, no sangue, na saliva e no fluído crevicular, sendo o cortisol salivar o mais usado como biomarcador de stress psicológico/fisico, doenças mentais e físicas relacionadas. A difusão passiva do cortisol para a saliva, através das células acinares (das glândulas salivares) ou através da ultra‐filtração pelas gap-junctions entre as células, faz com que os níveis salivares se correlacionem com o cortisol livre sérico  o que permite a medição direta do cortisol biologicamente ativo.

 

Neste estudo respeitou‐se uma metodologia de recolha de saliva que permitiu controlar fatores que  poderiam influenciar os níveis de cortisol salivar.

 

 

A colheita de cortisol foi padronizada para: a hora de colheita das amostras de saliva, o uso de materiais e métodos de colheita, fatores com influência nos níveis de cortisol salivar e a adoção de um protocolo adequado.

 

 

 

 

 

A análise dos resultados dessa investigação parece permitir extrair as seguintes conclusões:

 

1. Os praticantes de esporte de alto rendimento apresentam valores de sangramento gengival superiores aos não praticantes;

2. Os praticantes de esporte de alto rendimento apresentam níveis de cortisol mais elevados que os não praticantes;

3. Quando submetidas a treino físico intensivo as atletas produzem maiores níveis de cortisol salivar que os atletas masculinos;

4. Os cuidados preventivos periodontais nos indivíduos sujeitos a stress físico elevado deverão ser objeto de especial atenção por parte dos profissionais de Odontologia, dos próprios atletas ou seus responsáveis e também pelos profissionais de saúde que acompanham de perto os atletas.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Livros que todo cirurgião-dentista do esporte deve ler!

February 18, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes

August 13, 2019

Please reload

Arquivo