*Art comentado: "Meta-omics analysis of elite athletes identifies a performance-enhancing microbe that functions via lactate metabolism"

July 22, 2019

O segredo para o aprimoramento do desempenho atlético pode estar nos intestinos dos corredores de maratona?

 

Infelizmente o artigo que eu trago hoje é pago e por razões legais eu não posso disponibilizar integralmente por aqui, mas aqui está o link caso você queira adquiri-lo: CLIQUE AQUI.

 

Durante anos, cientistas estudaram a correlação entre micróbios no intestino humano e exercícios.

 

Em junho, um novo estudo foi publicado pela revista Nature Medicine, sugerindo que os atletas podem em breve adicionar bactérias à sua lista de técnicas naturais de melhoria de desempenho.

 

Liderado por Jonathan Scheiman, co-fundador e CEO da FitBiomics, durante seu tempo na Harvard Medical School, este estudo focou na identificação de micróbios que contribuem para a saúde e desempenho de pessoas super saudáveis ​​com o objetivo final de potencialmente desenvolver um probiótico. para ajudar as pessoas comuns a ter um melhor desempenho.

 

Os pesquisadores coletaram por duas semanas amostras fecais de corredores na cidade de Boston. Depois de obter as amostras, Scheiman as entregou ao microbiologista Aleksander Kostic do Joslin Diabetes Center para o sequenciamento bacteriano e comparação.

 

Os dois cientistas compararam os resultados dos corredores e não-corredores e descobriram um tipo de bactéria que se destacou nos corredores: Veillonella. Após novas pesquisas, eles descobriram que Veillonella sobrevive comendo lactato, que é um subproduto do exercício intenso associado à fadiga.

 

Não é interessante que depois de correr uma corrida você tenha um aumento em um tipo de bactéria que consome um subproduto metabólico de uma corrida?

 

Scheiman decidiu levar o estudo um passo adiante e realizar um experimento. Ele isolou a Veillonella das fezes de um corredor de maratona e depois o inseriu no sistema digestório de um grupo de ratos de laboratório.

 

Ele inseriu bactérias que não são lactato dependentes em outro grupo de ratos de laboratório como grupo controle.

 

Então, ele testou os dois grupos usando uma corrida até a exaustão.

 

Os resultados?

 

Os ratos com Veillonella dos corredores de maratona venceram. Eles duraram 13% mais em suas esteiras do que o grupo controle de ratos, um resultado significativo. Os pesquisadores ficaram intrigados e descobriram que o Veillonella consome lactato e o converte em um ácido graxo de cadeia curta, o propionato, que demonstrou afetar a frequência cardíaca dos ratos e a absorção de oxigênio.

 

Então, eles correram a corrida para o teste de exaustão novamente depois de transferir propionato puro para os intestinos de ratos e viram o mesmo aumento de desempenho que o Veillonella.

 

Agora que haviam descoberto como as bactérias estavam melhorando o desempenho atlético, a grande questão era por que Veillonella gosta de andar nos intestinos dos atletas? - uma questão que é muito mais difícil de responder.

 

 

A resposta ainda não está clara, e embora eles reconheçam que os resultados replicantes encontrados em ratos em humanos são difíceis de se pesquisar em humanos, o autor (Scheiman) está otimista e acredita que os atletas possam algum dia se beneficiar desses resultados. 

 

Será? Eu acredito que sim. 

 

Beijos, boa semana! 

 

 

 

 

Clara Padilha 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Livros que todo cirurgião-dentista do esporte deve ler!

February 18, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes

August 13, 2019

Please reload

Arquivo